Deprecated: Function set_magic_quotes_runtime() is deprecated in /home/kharma/kharma.matilha.org/textpattern/lib/txplib_db.php on line 14

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/kharma/kharma.matilha.org/textpattern/lib/txplib_db.php:14) in /home/kharma/kharma.matilha.org/textpattern/lib/txplib_misc.php on line 1546
Ocorreu um falha na seguinte tag: <txp:glx_if_comments_count operator="greater_than" value="0"> ->  Textpattern Warning: Tag desconhecida  on line 973
textpattern/publish.php:973 trigger_error()
processTags()
textpattern/publish.php:922 preg_replace_callback()
textpattern/lib/txplib_misc.php:1383 parse()
textpattern/publish.php:785 parse_form()
textpattern/publish.php:808 doArticle()
textpattern/publish.php:509 parseArticles()
textpattern/publish.php:963 article()
processTags()
textpattern/publish.php:922 preg_replace_callback()

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/kharma/kharma.matilha.org/textpattern/lib/txplib_db.php:14) in /home/kharma/kharma.matilha.org/textpattern/publish.php on line 467
Estrada: Perguntas....

Perguntas....

Jan 9, 15:29

Iniciando o ano com alguns devaneios.
Escrever muito ou escrever pouco ?
Atualizar ou engavetar ?
Não sei as respostas para as perguntas acima, só sei que na hora certa as palavras chegam.
Elas flutuam o tempo todo a nossa volta e em algum momento percebemos que elas se alinham, se sintonizam, e nesse momento, damos sentido a elas.
E nesse momento escrevemos.
Muito ou pouco ? Não sei mas escrevemos o que nos fez sentido.
Ou escrevemos tentando dar sentido a alguma coisa.
E depois pensamos no destino das frases, parágrafos e histórias que criamos.
Atualizar ou engavetar ?
Gavetas cheias de guardanapos, folhas de caderno e se vivessemos a alguns anos atrás papel de pão.
Ou quem sabe dezenas de txt’s com títulos indecifráveis em algum limbo de algum hd.
Algumas histórias se publicam, outras se engavetam, outras se libertam e começam a voar a nossa volta de novo, tentando chamar nossa atenção para que possamos, novamente dar um sentido a elas.

————————x——————————x——————E enquanto isso seguimos a estrada.
Ela está quente, o asfalto cria aquela falsa ondulação que nos confunde, nos desvia a atenção, faz com que as distâncias pareçam maiores.
Mas é só mais uma maneira da estrada nos dizer que precisamos prestar atenção redobrada no caminho.
Não só nas noites sem a lua nos guiando, mas também nos dias em que o sol forte a a luz parecem nos dizer que não existem obstáculos.
A estrada é uma dama temperamental.
  • Hµ63Z
    Jan 9, 16:07

    E bota temperamental nisso…

    Às vezes nos dá um tapa na cara pra nos dizer que não gostou do que fizemos, outras acaricia docemente onde outrora esbofeteara…

    A arte é seguir em frente… sempre!

Comentátio: